in , , , ,

Livros para colorir: tudo o que você precisa para escolher o seu (com dicas especiais para mães!)

Em geral, eu sou uma pessoa avessa aos modismos do mundo feminino. Lembro que recentemente quase todas as minhas amigas tinham eu sua cabeceira “Cinquenta Tons de Cinza” – confesso que li algumas poucas páginas e achei tão chatinho, que perdi o interesse (mas respeito quem achou bacana!). Eventualmente, no entanto, aparece algo com que eu me identifico: e foi o que aconteceu com a nova onda dos livros de colorir! Antes deles, eu me pegava pintando as revistinhas de Catarina, com a desculpa de introduzir à pequena o maravilhoso mundo da arte! Por isso, vocês podem imaginar o tamanho da minha felicidade quando percebi que poderia ter um livro só para mim!

“Só para mim” é jeito de falar, porque descobri que, quando se é mãe, até essas coisas nós acabamos dividindo com os filhos. Basta que eu pegue os lápis e meu livro de colorir, que lá aparece Catarina, querendo pintar junto! E não é que esse se tornou um passatempo delicioso que saboreamos juntas?

Depois que ganhei o primeiro livro de uma querida amiga, no meu aniversário, acabei recebendo alguns outros – o que foi muito interessante, pois tive a oportunidade de testar vários tipos, para poder contar aqui no blog as diferenças entre eles. Se você está em dúvida sobre o que comprar, espero que esse mini manual sobre livros de colorir ajude um pouquinho! Vem ver!

1) Escolha o tema: se a ideia é que o momento de colorir o livro seja relaxante, nada melhor do que escolher um modelo cujo tema lhe agrade, não é verdade? E depois que as editoras perceberam o sucesso de vendas desse tipo de produto, o que não faltam são opções das mais variadas – com desenhos de natureza (como o Jardim Secreto, que iniciou essa febre), de mandalas, de cidades (você pode pintar cenários de Londres, Paris, Rio de Janeiro!), e até mesmo religiosos (você sabia que o Padre Marcelo Rossi lançou sua versão de imagens para colorir? Verdade!).

Em sentido horário: 1- O Jardim Secreto (como o próprio nome diz, são figuras de jardins, flores e plantas em geral); 2 – A Cidade Mágica (paisagens das principais cidades do mundo); 3 – Ateliê Fashion (muitas estampas fofas para colorir); 4 – Philia (com imagens religiosas)

2) O grau de dificuldade: quanto menores e mais detalhados os desenhos do seu livro de colorir, mais tempo você levará para completá-los. Por isso, é interessante avaliar qual é a sua real disponibilidade para a atividade, e qual o seu grau de paciência para executá-la. Se não tiver muita certeza, comece pelos mais simples, ou opte por livros com imagens de diferentes tipos, para testar como você encara cada uma delas.

3) Preço: pode ser que isso seja um critério importante para você, então aqui vai uma dica inteligente. Se seu desejo é apenas o de colorir um livro para relaxar, sem o desejo de guardá-lo depois de completo, uma alternativa são revistas disponíveis em bancas – com um preço muito mais acessível do que os livros mais completos. Obviamente a qualidade do papel é inferior à dos produtos mais caros, mas se você não está disposta a gastar muito e não sabe quanto tempo ficará nessa onda, essas revistas podem ser uma boa pedida.

4) O tipo de papel: enquanto alguns livros de colorir têm papel mais poroso, que absorve com maior facilmente os pigmentos dos materiais de pintura, outros têm uma menor permeabilidade, o que facilita o uso de canetinhas, por exemplo. Pense nisso na hora de comprar seu livro – muitas mães que conheço preferem exatamente o uso das canetas hidrográficas, porque pintam mais rapidamente (e aí já saem correndo para suas tarefas diárias!).

5) Dicas para mães: especialmente as mães de meninas perceberão que as pequenas adoram fazer o livro de colorir a quatro mãos (claro que não é uma regra – mas, em geral, os meninos preferem atividades mais agitadas!). Mas se sua filha ainda é pequena como a minha, não tem coordenação motora para desenhos muito minuciosos (e acaba se irritando porque não consegue pintar “direitinho”). Se esse é também seu caso, prefira livros com imagens menos detalhadas, que facilitarão o trabalho conjunto.

Já que a filhotinha está interessada em pintar, que tal aproveitar a oportunidade para explorarem juntas vários materiais de pintura? Além dos tradicionais lápis de cor, é muito gostoso colorir com bastões de pastel (por serem macios, você não se cansa de pintar áreas extensas) e de giz-de-cera (aqui em casa tenho um bastão rosqueável de ponta fina que é excelente!).

Uma última dica para mães: se você está sempre correndo e pintando fora de casa (enquanto espera seu filho na aula de natação, ou por alguns minutos na sua hora de almoço), considere a ideia de comprar um pocket book (modelo que cabe na sua bolsa e pode ser levado com maior facilidade). Já se o seu negócio é pintar com os filhos ou na “tranquilidade do lar”, prefira livros maiores – o manuseio deles costuma ser bem mais fácil.

Dica de livro gratuito: Quem manda aqui? introduz política aos pequenos

Dica de livro: Abra com cuidado! Um livro mordido!