in ,

Como (e a partir de quando) seu filho pode ajudar nas tarefas da casa

Vida de mãe é assim: você corre o dia inteiro, e quando acha que vai descansar um pouquinho, olha ao redor e vê que a casa está tão bagunçada, que mais parece um campo de guerra! E aí aqueles poucos minutos em que você poderia descansar vão para o espaço: é um tal de recolher brinquedos, lavar roupa de bebê, fazer papinha… Além de todas as outras tarefas domésticas que você já costuma executar, e que se constituem em uma rotina bastante cansativa. Alguma semelhança com o que acontece por aí não é mera coincidência!

Pois aqui em casa eu me perguntava quando chegaria o momento em que Catarina poderia ajudar em algumas atividades. Muito menos para que eu não tivesse que fazê-las, mas principalmente para que ela percebesse que dá trabalho manter tudo em ordem – e que se cada membro da família não fizer sua parte, fica muito complicado para a mãe dar conta dessa organização. Eu sei que tem gente que pensa: “mas você faz sua filha pequena te auxiliar?”. E a resposta é: sim, eu peço sua ajuda, porque penso que ela faz parte da família (e antes que alguém pense algo diferente, é bom deixar claro: se eu tivesse um menino, seria exatamente a mesma coisa!). Se é parte, é bom que saiba que tem que contribuir (claro, de acordo com o que é possível para sua idade), além de ser uma forma natural de aprender a fazer (para não passar aperto quando for mais velha, e TIVER que fazer).

Se você também pensa dessa forma, pode estar se perguntando se seu filhote já é capaz de participar das tarefas domésticas. Minha experiência, que bate com a de muitas mães que eu conheço, é que a partir dos dois aninhos ele já pode começar a ajudar com coisas mais simples, sabia? A seguir eu conto um pouco mais sobre esse processo, vem ver!

Como os pequenininhos podem ajudar

A primeira tarefa da qual o pequeno pode participar é arrumação dos brinquedos. Como aos dois anos de idade as crianças costumam brincar no chão, você pode deixar uma caixa à mão, para que seu filho guarde tudo depois de terminada a brincadeira. Claro que nas primeiras ele precisará do seu exemplo para entender o que deve fazer. E aos poucos você vai saindo do esquema, deixando que o pequeno junte e guarde tudo sozinho (pode não ser tão simples quanto parece, mas se você insistir, ele pega o jeito e ajuda, sim!).

Outras atividades simples, que não envolvem objetos cortantes e outros perigos, também podem entrar na rotina dos pequenos (quando já estiverem um pouquinho maiores), como colocar a roupa suja no cesto, trocar o rolo de papel higiênico e tirar o pó de alguns móveis baixos (só tenha cuidado para não deixar objetos que quebrem sobre eles. Tire tudo antes!). Já na cozinha, a criançada pode contribuir com parte da arrumação da mesa, colocando os guardanapos e colheres. Outro bom hábito é mostrar que todo mundo tira o prato da mesa quando termina a refeição (e deixe que ele leve seu pratinho de plástico até a pia! Ele se sentirá orgulhoso por conseguir!).

Mais um exemplo do que seu filho pode fazer (e que deve ser uma tarefa interessante para ele) é alimentar os animais de estimação, se vocês tiverem. Isso é uma forma bacana do pequeno perceber que ter um pet é mais do que apenas diversão e brincadeiras, pois envolve cuidados e responsabilidades.

Precisa de recompensa?

Não necessariamente (aqui, por exemplo, a recompensa era apenas um abraço e um beijinho da mamãe feliz, hihihi). Muitas crianças se empolgam com a ideia de ajudar a realizar uma atividade, até então exclusiva dos adultos. Contudo, isso varia de acordo com a personalidade do pequeno: se você perceber que seu filho não se anima tanto com a ideia de ajudar, vá conversando, explicando a importância do seu ato, e avalie se vale a pena incentivá-lo de outra forma (que tal uma história a mais antes de dormir?).

Os benefícios

Deixar o pequeno contribuir com as tarefas domésticas ajuda no desenvolvimento de noções de responsabilidade, organização e até mesmo coordenação motora. Sem contar que ele passa a reconhecer desde cedo que deixar a casa em ordem, a comida prontinha e as roupas limpas demanda tempo e esforço, o que contribui para que ele valorize esses serviços (e, principalmente, as pessoas que os fazem)..

Gostou? Esses são alguns exemplos para atividades que crianças entre 2 e 3 anos podem fazer em casa, mas se você quiser saber como os mais velhos podem contribuir também, vale a pena conferir aqui o post do Blog da Diiirce, que contém uma tabela super bacana separando as atividades por idade.

Método Konmarie: chega de bagunça!

Por que minha despensa está sempre vazia (ou por que uma mãe não consegue fazer as compras direito!)